sexta-feira, 29 de junho de 2012

ESTILISTAS DA BELLE ÉPOQUE - Rouff e Jeanne Paquin


Oi crianças...
Não estranhem se esse post ficar meio esquisito. Eu honestamente não acho muito prático o novo layout de edição do blogspot... mas se diz que é pra mudar, então mudemos!

Hoje eu iria falar sobre o/a estilista ou maison Rouff, mas como comecei a pesquisar sobre Rouff e o negócio ficou meio problemático, vamos falar também de Jeanne Paquin que dizem, foi aprendiz na maison Rouff até abrir a sua própria.

Esse site tem até fotos de o que parece ser um vestido de casamento da Rouff:

Pesquisando, achei o seguinte artigo com boas fotos no Caderno de Moda: http://cadernodemoda.blogspot.com.br/2011/08/maison-rouff.html

No google images foi um desespero, esparsas imagens, que pobreza... mas garimpando a gente sempre acha alguma coisinha, como esse site com fotos de excelente qualidade de artigos muito bem conservados:
http://www.vintagetextile.com/new_page_675.htm



Como dito no Caderno de Moda, existiram duas maisons, a Rouff, e a Maggy Rouff.
O mais provável é que estejamos atrás de Rouff simplesmente, porque as roupas que nos interessam foram fabricadas muito antes de Maggy nascer, já que conforme o blog Memoria Vintage apontou, a época de ouro do Rouff tenha sido em 1884.

Capa de veludo da casa Rouff, em perfeito estado de conservação, provavelmente desde 1890.



Como vocês podem ver, o material sobre La Maison Rouff é bastante escasso, e bastante confundido com Maggy Rouff.

Head to Toe Fashion Art, os autores tentam até mesmo estabelecer uma conexão entre La Maison Rouff e Maggy Rouff...

Podemos ver no final do cartão a palavra Maison Rouff... esse vestido é provavelmente de 1906 e Maggy nasceu em 1896.

Por isso é que os dois trabalhos se confundem e se misturam, na internet fica muito difícil encontrar material especificamente da Casa Rouff, mas pelo pouco que podemos ver, a Maison segue muito a tendência da época, na minha opinião, não trazendo muitas novidades além do que Jacques Doucet e outros estilistas já estavam fazendo, embora tenhamos que admitir que, mesmo sem grandes novidades, o estilo continua impecável, com detalhes arrebatadores, a costura sempre muito caprichada, as formas  e os tecidos sempre muito bem escolhidos e trabalhados.
Sempre muito luxo, muita sofisiticação em bordados, pedrarias, babados, rendas, apliques, drapeados, etc.



Mais um blog bom com fotos de roupas da Era Eduardiana: http://defunctfashion.tumblr.com/page/61
sendo as fotos abaixo creditadas a Rouff.

 

Este vestido é muito parecido com o que abre o post, mas parece mais desgastado e descolorido, mesmo a cor é um pouco diferente nesta espécie de peitoral. Adorei o estilo do sobre-vestido, a escolha dos babados e rendas e o trabalho de drapeado feito nas mangas, extremamente romantico.





Este outro tem as mangas pagode que foram mais tarde reintroduzidas em um novo conceito pela Schiaparelli, adorei as rendas caindo em degrade só numa lateral.


Este aqui segundo consta é um vestido de casamento... não sei porque me lembra muito algo que uma personagem de Jane Austen vestiria, adorei os drapeados e a forma como a "manga" cai e é presa nas costas.














Neste outro trabalho, notem como a parte de trás é muito bem trabalhada, pra se usar em uma época em que os homens só podiam imaginar como era o bumbum das damas, e se não dava nem pra ter um mero vislumbre, ao menos teriam uma bela imagem pra ver enquanto a dama passava por eles:




















Agora, vamos falar de Jeanne Paquin, que passou pela Rouff onde aprendeu muitas coisas para depois abrir sua própria Maison.




Conforme consta, fazia roupas de design inovador para a época, bem como se utilizava de recursos também inovadores para a época para divulgar sua maison, como organizar desfiles com suas roupas bem como enviar modelos para corridas e óperas para divulgar o seu design.
Paquin era também decoradora de casas, atividade na qual sua reputação se sobressaía.






http://headtotoefashionart.com/jeanne-paquin-1869-1936/
Finalmente uma biografia com foto de verdade de Mme Paquin.










Olha como era a modelagem dos casacos:












Olha que site interessante com fotos de coleções de diversas épocas http://www.kci.or.jp/archives/digital_archives/collection_1910s_e.html



Bom, por hoje é só pessoal, espero que tenham gostado dos modelitos. Esse abaixo parece muito com um traje visto no filme Titanic.

e não se esqueçam de explorar mais sites que eu já citei aqui, como o Caderno de Moda, o Memória Vintage, o Metropolitam Museum of Art, o Madame Guillotine, etc.
O passeio vale á pena.
Beijos,
Marie



quarta-feira, 27 de junho de 2012

MODA DA BELLE ÉPOQUE - ESTILISTAS - Madeleine Vionnet


Oláááá crianças

Vamos continuar nossa exploração sobre os estilistas da Belle Époque?
Conforme comentado anteriormente, os maiores representantes da moda da época foram:
" ... famosas marcas francesas como: Jacques Doucet (1871), Rouff (1884),Jeanne Paquin (1891), Soeurs Callot (1895),Paul Poiret (1903),Madeleine Vionnet (1912),Chanel (1925),Elsa Schiaparelli(1927) e Balenciaga (1937)." (Fonte: http://www.memoriavintage.com/2011/08/22/moda-belle-epoque-i-1895-1910/)


Foto divulgação de uma criação de Vionnet, notem como já era de vanguarda para a época.

Já exploramos Jacques Doucet em http://arewebeautiful.blogspot.com.br/2012/04/moda-da-belle-epoque-estilistas-jacques.html,
e Elsa Schiaparelli em: http://arewebeautiful.blogspot.com.br/2012/06/belle-epoque-elsa-schiaparelli.html.

Vestido moderninho de Vionnet

Não esqueçam também de fazer um tour pelo site: http://www.antiquedress.com/gallerymuseum22anew.htm
aonde você vai querer morrer por não ter grana ou glamour para ter acesso a tanta roupa linda e originalzinha, ou por que sabe que nunca vai caber dentro de nenhuma dessas roupas antigas porque não tem o "perfil" ou "figura" necessária, como é o meu caso. Mas o site é bom para conhecer outras marcas de maisons da época que não ficaram tão em evidencia como as já citadas, ou como uma Chanel da vida, mas que também produziam peças incríveis.



Hoje vou falar sobre a Madeleine Vionnet, que me chamou bastante a atenção por suas criações.
Claro que houveram outros nomes importantes na moda da Belle Époque, mas vou explorar somente aqueles que mais despertaram a minha admiração. Assim como no mundo das jóias, Lalique, para mim, foi único, Doucet e Vionnet no mundo da moda, para mim, foram excepcionais.


Gostei muito do estilo fluido de Vionnet, em contraste com o estilo mais rebuscado e barroco de Jacques Doucet e com a chamada mais moderninha de Schiaparelli.
Diz-se que Vionnet inventou o corte em viés, a gola boba, a frente única e a saia lenço. Era muito adepta dos drapeados, da fluidez dos tecidos que deveriam acompanhar o contorno do corpo da mulher ao invés de moldá-lo.



Amei esse modelo acima, se eu conseguir, quero um vestido desses para eu ir ao próximo casamento que eu for convidada, né Dani e Ritchie?



Você pode conhecer mais da arte de criar roupas e vestidos de Vionnet no Metropolitan Museum of Art: http://www.metmuseum.org/toah/hi/hi_vionnetmadeleine.htm



Veja também este site http://www.alcacuz.com.br/blog/?tag=madeleine-vionnet
que sintetiza com palavras muito bem escolhidas todo o talento, na verdade, a maestria de Vionnet, que, conforme citado: criava peças únicas, puras, essencialmente belas.


Amei esse modelo também!


Tanto é que a maison parece que ainda existe, ou pelo menos, a marca. Veja em:
http://www.vionnet.com/
Pelo visto, continua com todo o cuidado, e capricho, originais de sua criadora.


Vionnet escolhia cuidadosamente os tecidos utilizados em suas criações, e primeiro testava em seus manequins em escala menor em madeira para depois passá-los para a escala real.
Como podem ver em suas obras, existe todo um cuidado com a escolha dos materiais, com as formas, com a qualidade dos drapeados, dos cortes, dos bordados e apliques.




Mesmo o mais simples é luxuoso!


Ela foi chamada de "Arquiteta entre costureiros", e como podem ver pelas fotos, seus vestidos são simplesmente perfeitos. Vionnet inclusive trabalhou com Jacques Doucet antes de abrir sua própria maison, em 1912.

Aqui eu vejo claramente uma influência de Doucet.

Teve que fechar dois anos depois devido à primeira guerra mundial, mas quando finalmente foi possível reabri-la, sua loja ficou mais conhecida como Templo da Moda, tendo inclusive trabalhado em parceria com Rene Lalique, meu designer de jóias favorito!



Segundo consta, ela inovou o mundo da moda com conceitos, criatividade e estratégias comerciais que definem hoje o sistema da moda. Inclusive, devido á sua experiencia anterior em linhas de costuras em hospitais, ela inovou com um sistema de produção em massa.




Ela libertou o corpo das mulheres do sofrimento de corsets e espartilhos, fazendo com o bem estar, a personalidade e os sonhos das mulheres fossem o centro e objetivo da moda. É dela a frase: "Se uma mulher sorri, o vestido dela deve sorrir também."


Acho que essa modelo não entendeu bem o espírito Vionnet... que carrancuda!


Veja mais da biografia dela em: http://en.wikipedia.org/wiki/Madeleine_Vionnet


Os designs de Vionnet aproximaram a moda das passarelas à moda das ruas. Suas roupas eram práticas e fáceis de vestir, revolucionando a indústria da moda e a cultura popular.

Leia mais em:
http://www.modelagemmib.com/2007/08/madeleine-vionnet-1876-1975.html



e em:
http://www.modalogia.com/2009/07/06/madeleine-vionnet-em-exposicao-em-paris/




Espero que tenham gostado.
Eu simplesmente babei!
Marie Jo